Entrevistamos alguns vencedores de edições passadas e relembramos um pouco da experiência que marcou suas vidas. Conheça Sarah Laysa Becker, uma das vencedoras do Concurso em 2015.

O que aconteceu depois da sua participação no Concurso do Sebrae?
Sarah: Participei do Concurso em 2015, fiz a viagem ao Vale do Silício no início de 2016 e após isso muitas coisas boas aconteceram. Finalizei o curso de Engenharia Química na FURB em dezembro de 2016 e minha formatura foi em fevereiro de 2017. Passei um ano somente trabalhando na empresa que já estava, no ramo têxtil (tinturaria). E nesse ano iniciei o mestrado na FURB, também em Engenharia Química. Consegui uma bolsa de estudos e saí da empresa para me dedicar somente à pesquisa e aos projetos de inovação nessa área.

Qual foi a etapa do Concurso que você mais aproveitou? Por quê?
Sarah: Todas as etapas foram muito importantes, escrevendo o trabalho ou apresentando para a banca avaliadora. A experiência em Florianópolis, no dia da apresentação, conhecendo todos os finalistas e seus projetos, recebendo críticas construtivas de pessoas que trabalham há anos com empreendedorismo e inovação agregou muito conhecimento para todos.

Conte um pouco sobre a sua ideia de negócio inovador? O que inspirou você a inovar neste caminho/mercado?
Sarah: Minha ideia de negócio foi uma tinturaria de malha de algodão com uso de corantes naturais. Seriam substituídos os corantes sintéticos, provenientes do petróleo, que são utilizados atualmente, por corantes de fontes naturais, como plantas. Esses corantes não poluem o meio ambiente por serem biodegradáveis, agregando ao produto final um apelo ambiental. 

O que inspirou você a inovar neste caminho/mercado?
Sarah: Tive a ideia por já trabalhar nesse ramo, de tinturaria, e observar a quantidade de efluente eliminado todos os dias e o quanto a minha empresa na época gastava com o seu tratamento.

Chegou a apresentar o seu pitch de negócio para algum potencial investidor ou aceleradora? Conta pra gente!
Sarah: Sim, apresentei a ideia na empresa em que trabalhava, numa reunião normal, e lá realizei alguns testes em laboratório necessários para validar o projeto.

Você tem planos de viabilizar a ideia de negócio que foi uma das vencedoras do Concurso 2015?
Sarah: No momento não tenho planos de viabilizar. Meu projeto de início foi a abertura de uma nova empresa para efetuar os tingimentos com corantes naturais, mas ao longo do Concurso percebi que o investimento para isso é muito grande, o mais viável seria a aplicação do projeto em uma tinturaria que já trabalhasse no mercado. O maquinário necessário para o processo é o mesmo dos corantes já utilizados, assim seria possível trabalhar com as duas linhas de corantes, naturais e sintéticos, dependendo da preferência do cliente. Se hoje fosse viabilizado, seria desta maneira.

Todos os dias da viagem foram incríveis, conhecemos várias empresas, universidades e lugares, foi uma oportunidade única que vou levar para toda a vida.

Qual foi a experiência/aprendizado mais marcante da sua viagem ao Vale do Silício?
Sarah: Todos os dias da viagem foram incríveis, conhecemos várias empresas, universidades e lugares, foi uma oportunidade única que vou levar para toda a vida. A experiência mais marcante para mim, foi conhecer a Singularity University. Conversamos com pesquisadores, alguns brasileiros inclusive, apresentamos nossa ideia de negócio, eles deram um feedback sobre atitudes que poderíamos tomar daqui para frente e apresentaram algumas inovações em que estavam trabalhando.


Antes de apresentar tentar pensar em tudo que poderia gerar dúvidas nos avaliadores no seu plano de negócio, tudo que eles poderiam discordar e perguntar, pensar nos pontos fracos do negócio e encontrar respostas para todas as dúvidas.

Deixe uma mensagem para os participantes do Concurso de 2018!
Sarah: Bom, para mim o mais importante é se dedicar ao trabalho, ir fundo na sua ideia e acreditar em você mesmo. Vai pensando no prêmio como motivação! O que me ajudou foi que eu tenho muito conhecimento nessa área, já que era meu trabalho. E algo que fiz que pode ficar como uma dica, é antes de apresentar tentar pensar em tudo que poderia gerar dúvidas nos avaliadores no seu plano de negócio, tudo que eles poderiam discordar e perguntar, pensar nos pontos fracos do negócio e encontrar respostas para todas as dúvidas.

>> Esperamos que a experiência da Sarah tenha inspirado a sua participação no Concurso 2018! <<

Você curtiu? Então comenta aqui nos comentários, vamos adorar trocar uma ideia com você. E se você ainda não se inscreveu, corra! As inscrições vão só até 02/06.