Inusitados! Os novos ovos de ouro! Um olhar para a natureza! Excêntricos!

Estas são algumas das expressões de quem fica sabendo da mais nova mania no Vale do Silício: empresários estão investindo na criação de frangos, galinhas e pintinhos, segundo artigo publicado no The Washington Post na última sexta-feira (02/03).

O executivo Johan Land, gerente de produtos da Waymo, empresa do Google que trabalha para lançar serviços de táxi sem motorista em larga escala está criando um total de 13 frangos e 3 ovelhas em seu jardim.

Assim como ele, os executivos de empresas de tecnologia, acreditam que o hábito de criar animais é também uma maneira de mostrar que se importam com o meio ambiente.

E como estamos falando de um lugar super tecnológico…

Os empresários e agora também criadores de aves chegam a gastar milhares de dólares em seus criadouros. Os galinheiros são high-tech, equipados com energia elétrica, portas automáticas e câmeras, algo em torno de 20 mil dólares. Comprar um animal de raça, por exemplo, é um sério investimento. Optam por linhas genéticas que podem ser rastreadas por gerações, investindo cerca de 350 dólares por cada.

Galinheiro versão mobile

Além de oferecer todo o conforto para as aves, os empresários também ganham em comodidade. Tudo pode ser controlado pelo smartphone. É possível definir a temperatura, ventilação, iluminação da gaiola e até detectar se predadores estão por perto.

Uma criação tem, na maioria das vezes, de quatro a cinco aves, mas algumas pessoas acabam criando 15 ou 20 animais em suas próprias casas.

Será que essa moda pega aqui no Brasil?