Os jovens inovadores e criativos, prometem muito mais novidades saindo do Vale do Silício nos próximos anos. A Ripple, com o seu leite de ervilha é uma delas.

A Ripple é uma nova linha de produtos lácteos que recebeu financiamento de US$ 44 milhões do Google e de capitalistas de risco do Vale do Silício. Desde que foi criada, em abril de 2016, a empresa vendeu 2,5 milhões de garrafas de produtos e gerou US$ 20 milhões em receitas, utilizando leite feito de simples ervilhas amarelas.

O cultivo do vegetal é barato e o sabor produzido também é surpreendentemente puro. Além disso, o novo produto oferece a mesma quantidade de proteínas que o leite de vaca (8 gramas por porção, comparável à do leite de soja, mas muito superior à do leite de amêndoa).

O grande diferencial do leite de ervilha é a bandeira ecológica. A cada 1,41 litro de Ripple (com envoltório feito de material 100 por cento reciclável após o consumo) economiza-se 1,58 quilo de emissões de dióxido de carbono e 3.500 litros de água em comparação com o leite de vaca.

Ou seja, 2,5 milhões de garrafas vendidas pela Ripple somam cerca de 3,1 mil toneladas de emissões de CO2 a menos — o equivalente a tirar mais de 600 carros das ruas por um ano.

A região mais inovadora do planeta não para de apostar em boas ideias. O Vale do Silício é pura inspiração! E é para lá que os vencedores do Concurso 2017 viajam em breve.