“Criatividade é apenas conectar coisas. Quando você pergunta a uma pessoa criativa como elas criaram algo, elas se sentem culpadas, pois não criaram algo de fato, apenas viram alguma coisa. Isso parece óbvio a elas depois de algum tempo”. – Steve Jobs

Steve Jobs faleceu em 2011, aos 56 anos, mas continua sendo uma personalidade bastante influente, principalmente no ramo da tecnologia e no quesito criatividade. Há muitas teorias que ajudam a explicar, pelo menos em parte, o poder criativo do co-fundador da Apple. Mas uma é especialmente simples: Steve Jobs realizava suas reuniões de trabalho caminhando.

 Caminhe pela criatividade

Longe de ser uma técnica desenvolvida por ele, Jobs tomou gosto pelas caminhadas por necessidade. Quando ainda estava estudando no Reed College, em Portland, e não tinha dinheiro, costumava andar quilômetros para se alimentar em um templo Hare Krishna, que oferecia refeições gratuitas. Depois, quando passou a se encontrar com o monge zen budista Kobun Chino Otogawa, conheceu o Kinhin, um método de meditação em que se caminha longamente. Suas extensas conversas com Kobun também eram feitas em caminhadas. E todas as vezes que precisava ter uma ideia ou lidar com um problema, Jobs saia para andar.

 A ciência comprova: criatividade é conexão

Um estudo recente realizado pelos pesquisadores Marily Oppezzo e Daniel Schwartz demonstrou que a técnica de Jobs é bastante eficiente. Andar faz com que o coração bata mais rápido, aumentando a circulação de oxigênio no cérebro. Só isto já aumenta a capacidade de raciocínio, memória e atenção. Mas caminhar também incentiva o pleno funcionamento dos dois lados do cérebro, integrando a criatividade e o raciocínio lógico, permitindo a geração de ideias mais inovadoras, porém factíveis.

Além de tudo, a caminhada constante também promove a criação de novas conexões entre os neurônios, reduz o ritmo do envelhecimento do tecido cerebral, aumenta o volume do hipocampo (região crítica para a memória, principalmente a de longo prazo), aumenta o nível de estímulo de crescimento de novos neurônios, e também a interação entre eles.

Caminhar pode trazer novas ideias para os seus negócios. Observe que outros empreendedores, como Mark Zuckerberg (Facebook) e Jack Dorsey (Twitter), também adotaram este método. Adote este hábito e turbine sua criatividade!