Quando criamos uma empresa, devemos sempre pensar em como divulgar nossos produtos ou serviços para atrair consumidores e fidelizar clientes. Para isso, é fundamental criar uma identidade, que será a forma como sua empresa será reconhecida e assimilada pelo público. Esse é o trabalho da Comunicação Externa, responsável por criar uma ponte entre a empresa, outras organizações e o seu público.

A política de comunicação externa de uma empresa deve estar alinhada com a missão, valores e a visão da organização. Algumas ferramentas de comunicação externa:

Assessoria de imprensa – proporciona visibilidade à empresa por meio de veículos de comunicação (jornal, revista, site, rádio e televisão). Ela será responsável por desenvolver releases, artigos, notas, pautas, agendar entrevistas e media training para apresentar a marca para jornalistas. Ao realizar um evento ou um novo serviço, por exemplo, o assessor de imprensa deverá torna-los relevantes aos olhos da imprensa e tentar divulga-los.

Propaganda – Procura apresentar o produto ou serviço por meio de campanhas e peças publicitárias. Pensa sobre a abordagem, textos e imagens que irão impactar mais o consumidor.

Marketing – Responsável pela pesquisa de mercado, promoção de vendas e propagandas. Nós já falamos sobre a importância dessa ferramenta aqui.

Relações Públicas – Responsável pelo planejamento estratégico de comunicação na organização. Pode atuar em atendimento de clientes, do cerimonial e protocolo, produzir e divulgar por meio de jornais internos ou externos as intenções das empresas, realizar eventos para promover a empresa, fazer pesquisa de opinião.

Um bom exemplo de quando a Comunicação Externa é uma ferramenta essencial, é durante um Gerenciamento de crises. Uma crise é quando acontece um fato gera buzz e acaba prejudicando a marca:

Em 2007, um usuário enviou e-mails afirmando que, segundo relatório elaborado pelo CEMIC (Centro de Educación Médica y Investigaciones Clínicas), a bebida Actimel, da Danone, causava sérios danos à saúde. Com a viralização do e-mail, em menos de 30 dias as vendas da Danone foram abaladas pelo boato. No mês seguinte, todas as instituições citadas pelo usuário divulgaram comunicados oficiais dizendo desconhecê-lo e jamais ter elaborado qualquer tipo de estudo do gênero. Ainda assim, o boato já havia atingido diversos consumidores e foi preciso uma campanha estratégica na internet, televisão e veículos impressos para restabelecer a credibilidade da marca.